3 Ideias de Sustentabilidade em Condomínio e Reduzir Gastos

Sustentabilidade em condomínios é um assunto que tem sido muito abordado nos últimos anos. Além de ser uma forma de contribuir para a preservação dos nosso recursos naturais, ações de sustentabilidade dentro do ambiente condominial ajudam a melhorar a qualidade de vida dos moradores, a valorizar o patrimônio e permitir que o empreendimento reduza seus gastos.

 

Falar sobre sustentabilidade nas reuniões de condomínio geralmente é motivo de polêmica. Há os moradores que reclamam, os que defendem o tema com unhas e dentes, os que acham muito trabalhoso realizar mudanças – há de tudo! E, como responsável pelo condomínio, é o síndico quem fica com a incumbência de apaziguar os ânimos, encontrar um meio termo que beneficie a comunidade e colocar em prática.

Pensando nisso, preparamos uma lista com três ideias que você, síndico, pode replicar nos condomínios onde atua. Sabemos que nem todos os condomínios possuem a verba e/ou o espaço suficiente nas áreas comuns para fazer grandes alterações em prol da sustentabilidade. Logo, selecionamos algumas dicas que envolvem pouco (ou nenhum) gasto. Confira:

 

1. Lixo zero em condomínios

Condomínios residenciais englobam uma grande quantidade de moradores. Apenas na cidade de São Paulo, é estimado que uma em cada três pessoas viva em um desses conjuntos habitacionais. Além disso, calcula-se que uma só pessoa produz cerca de 1 kg de lixo por dia, todos os dias.

Mesmo que a matemática não seja o seu forte, fica fácil compreender que condomínios tendem a produzir uma enorme quantidade de lixo no dia a dia. Assim, o descarte correto de todo esse resíduo se torna muito importante e esse é o foco da prática de lixo zero em condomínios.

Apesar do nome, lixo zero em condomínios significa adotar práticas sustentáveis que causem o máximo de aproveitamento do lixo. E a forma mais fácil de fazer isso é através da separação correta dos detritos, evitando que resíduos recicláveis, orgânicos e rejeitos se misturem.

Após recolhido, o lixo orgânico pode virar conteúdo para composteira, que depois é usado na manutenção dos jardins, das áreas externas e até mesmo da horta comunitária. Ao mesmo tempo, os materiais recicláveis podem servir como uma fonte de renda extra para o condomínio. Deste modo, apenas os rejeitos serão realmente descartados.

Para isso acontecer, o condomínio pode disponibilizar lixeiras de cores diferentes para que a medida seja seguida. Também é necessário que o síndico instrua os funcionários do condomínio e elabora regras com os moradores para que todos obedeçam e compreendam a importância dessa iniciativa.

2. Campanhas de economia de água e energia elétrica

Desenvolver campanhas que incentivam os condôminos a diminuir o consumo de energia elétrica e de água pode parecer algo simplório, mas acredite: medidas como essa importam.

Segundo dados da Green Building Council Brasil, entidade brasileira responsável pela certificação mundial de construções sustentáveis Liderança em Energia e Design Ambiental (LEED), prédios com políticas de sustentabilidade apresentam uma redução média de 40% no consumo de água e 20% nos custos com energia elétrica.

Importante lembrar que esse tipo de ação é praticamente sem custo para o condomínio, visto que você pode enviar lembretes aos moradores via aplicativo de gestão condominial ou colar cartazes nos murais. Resumindo, o condomínio só tem a ganhar!

 

3. Atenção as infiltrações

Todo síndico sabe que infiltrações trazem uma grande dor de cabeça para todos os envolvidos. Além de causar gastos, obras, barulho e sujeira, um vazamento despercebido também gera uma despesa a mais para o condomínio, especialmente quando a infiltração é em uma área comum e/ou a conta da água é dividida entre todos os moradores.

Faça revisões constantes e treine os funcionários do condomínio para detectar sinais de vazamentos como manchas, umidade, mofo e pintura descascada.

 

Pronto! Essas foram as nossas três dicas de sustentabilidade em condomínios que preparamos para você.

E lembre-se: quando falamos de sustentabilidade, é muito importante notar que atitudes locais influenciam o global. Ou seja, cada vez que um síndico se preocupa com sustentabilidade no condomínio, ele está ajudando a fazer a diferença na cidade e na vida dos condôminos – tanto na saúde, quanto no bolso.

 

10 dicas para economizar água no condomínio

Economizar água em condomínios é um dever não apenas dos síndicos, mas também de todos os moradores. Por isso, o uso racional da água precisa ser feito por todos. A água é usada para toda a rotina de limpeza de um prédio, principalmente nas áreas comuns, banheiro, portaria e garagens. Além de utilizar materiais hidrossanitários que economizem água, o síndico e os moradores devem ficar de olho em vazamentos nos apartamentos, por menores que sejam. O indicado é realizar uma vistoria por uma empresa especializada a cada seis meses.

Se o vazamento for do condomínio, o síndico deverá resolver e se for dentro do apartamento, a responsabilidade do conserto é do morador do imóvel. Uma outra dica é fazer a limpeza da caixa d’água regularmente.

O serviço de economia de água pode ser contratado por uma empresa que irá realizar serviços de testes, regulagens, inspeção de vazamentos, campanhas de conscientização entre outras medidas necessárias.

A seguir separamos 10 dicas para você e seu síndico economizarem água no condomínio:

1 – Ter horários para regar os gramados
Se você é o síndico, procure solicitar aos seus funcionários a lavagem da grama pela manhã ou no fim do dia. Evite regar as plantas durante o sol forte. E o principal, não deixe a torneira aberta à tôa. Feche quando não estiver usando.

2 – Tenha um banho consciente
Evite deixar a água do banho aberta à tôa ou enquanto estiver se ensaboando. Abra a torneira apenas na hora do enxágue.

4 – Uso da máquina de lavar roupa / louça
Você sabia que uma máquina de lavar de 5kg, gasta cerca de 135 litros de água, cada vez que é posta em funcionamento.
Por isso, evite lavar roupas todos os dias e ainda por cima, com poucas peças. Procure acumular uma quantidade razoável de roupa para não desperdiçar muita água.
O mesmo caso acontece com a máquina de lavar pratos. Acumule a louça e não ligue a máquina para lavar apenas para um ou dois pratos.

5 – Escovando os Dentes / Lavando a louça
Uma torneira da pia do banheiro ou da cozinha aberta libera de 12 a 20 litros de água por minuto. Desta maneira, não desperdice. Conscientize principalmente as crianças para não deixar a torneira aberta enquanto escovar os dentes.
Na hora de lavar a louça, só se deve abrir a água quando for enxaguar

6 – Xixi no banho
Você faz xixi no banho? Pois este ato economiza 1 descarga.

7 – Lavando frutas, verduras e legumes
Procure lavar frutas, verduras ou legumes em uma panela com água e depois use a água para lavar as plantas

8 – Uso de aeradores no bico das torneira.
Para economizar água, você pode colocar aeradores no bico das torneiras. Eles ajudam a economizar cerca de 60%, ou seja menos de 2 litros por minuto.

9 – Lavar o carro com balde
Lavar o carro com a mangueira é um hábito comum. Mas se você mora em condomínio, não use a torneira da garagem. Essa prática pode gastar cerca de 560 litros de água em apenas meia hora. Procure utilizar baldes com água.

10 – Regar as plantas com regador ao invés de mangueira
Além da dica de utilizar a mesma água que foi usada para lavar as frutas e verduras, para lavar as plantas, substitua a mangueira por um regador.
Siga as dicas para economizar água acima, e você vai ver que além de ajudar o meio ambiente, no final do mês o resultado virá na conta da água.

Projeto de Lei permite o uso do voto eletrônico nas Assembleias de Condomínios

PROJETO DE LEI PERMITE O USO DO VOTO ELETRÔNICO NAS ASSEMBLEIAS DE CONDOMÍNIOS

A tecnologia chegou até as Assembleias condominiais. No último dia 14 de agosto, a  Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) aprovou no Senado, Projeto de Lei (PL) 548/2019, que permite o uso do voto eletrônico nas Assembleias de condomínios.

Na prática, os síndicos poderão coletar os votos mínimos necessários para determinados tipos de votações (como por exemplo, a reforma da sacada do prédio ou melhorias no sistema de segurança) através da internet ou por outro meio idôneo.

De acordo com o texto do projeto de lei, os condôminos que não poderiam estar presentes nas deliberações, poderiam votar ou até mesmo justificar o seu voto por meio da internet ou de outra forma legal escolhida pelo condomínio.

Toda votação é feita de forma sigilosa e segura, em qualquer horário e, através de uma plataforma amigável e intuitiva. Sendo que cada morador deverá ter a sua senha de acesso disponibilizada pela administração do edifício.

Leia Mais